CHUC e Hospital Central de Maputo assinam protocolo na área da telemedicina

Atualizado: 2 de set.


Foi assinado ontem, dia 31 de agosto, em Maputo, Moçambique, um instrumento de cooperação bilateral na área da telemedicina, entre o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), representado pelo Presidente do Conselho de Administração, Carlos Santos e o Diretor Geral do Hospital Central de Maputo (HCM), Mouzinho Saide.


As modalidades de telemedicina disponibilizadas pelo CHUC ao HCM são, a teleconsulta, teleconsultadoria e o telediagnóstico, compreendendo as especialidades de cardiologia pediátrica, cardiologia, infeciologia, medicina interna, neurologia, oncologia e pneumologia, assim como outras especialidades médicas que vierem a ser consideradas fundamentais.


A intensa e já longa experiência do CHUC, através do pioneirismo dos seus serviços clínicos na área da telemedicina, faz desta instituição um parceiro privilegiado e garante do sucesso da execução deste protocolo. Nesta já longa experiência do CHUC, destaca-se o contributo do principal promotor e impulsionador da utilização desta linha de serviço, Eduardo Castela.

A telemedicina é hoje reconhecida como um instrumento essencial na melhoria qualitativa e quantitativa da prestação de cuidados de saúde, nomeadamente pela redução de custos e de tempo, permitindo a prestação de cuidados de saúde especializados, ultrapassando barreiras geográficas, conectando utilizadores que não se encontram na mesma localização física e envolvendo a utilização de vários tipos de tecnologias de informação e comunicação.


A formalização deste protocolo teve lugar no Ministério dos Negócios Estrangeiros, no âmbito da cimeira entre os dois países que conta com uma ampla delegação chefiada pelo Primeiro-ministro, António Costa, e que decorre até ao dia 2 de setembro.



23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

"A ADSE é hoje o maior e mais completo sistema voluntário de proteção na doença em Portugal. Este sistema acompanha os desafios gerais dos sistemas de saúde dos países de elevada renda: envelhecimento