DSC_1719.jpg

O PLANO EM PERGUNTAS E RESPOSTAS

QUAIS OS PRINCIPAIS DESAFIOS A QUE O PDE_CHUC RESPONDE?

Foram identificados seis desafios a que o Plano de Desenvolvimento Estratégico (PDE) procura dar resposta:

  1. Evolução demográfica - A evolução da população servida retrata a crise demográfica vivida no país, mas a região Centro apresenta um índice de envelhecimento ainda mais elevado. Assim, há menos população e mais velha. Os doentes mais idosos apresentam diversas comorbilidades, que tornam necessária a intervenção de várias especialidades e requerem uma maior utilização de recursos e também pressiona o serviço de urgência e o internamento.

  2. Elevada diferenciação - O CHUC está presente em centros de referência nacionais e europeus, os seus profissionais estão envolvidos em projetos de investigação e existe um “know-how” elevado em áreas muito específicas, com profissionais muito qualificados e uma sólida ligação ao meio académico, com destaque para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra Académico e Clínico. 

  3. Satisfação dos profissionais, atração e retenção do talento – O CHUC confronta-se com uma disputa cada vez maior por profissionais de excelência por parte de outros hospitais, e verifica-se um acentuado envelhecimento dos seus quadros sendo por isso a satisfação dos profissionais e a atração e retenção de talento um dos principais desafios para o futuro.

  4. Articulação com cuidados de saúde primários e continuados – A prestação de cuidados deve ser cada vez em complementaridade e em rede, como tal, revela-se indispensável fomentar a articulação entre os diversos níveis de cuidados.

  5. Adequação e atualização tecnológica dos equipamentos e dos espaços físicos – O CHUC atravessou um período sem atualização tecnológica o que torna desafiante responder às necessidades e equipamento assim como a requalificação de alguns espaços.

  6. Equilíbrio financeiro - O modelo de financiamento hospitalar tem conduzido a uma situação de desequilíbrio financeiro, com impacto na dívida a fornecedores, que é outro dos desafios com que o CHUC se confronta.

QUAIS SÃO OS OBJETIVOS QUE SE PRETENDE ATINGIR COM O PDE_CHUC?

O plano deverá ter um impacto qualitativo, sendo de esperar uma melhoria dos serviços prestados, uma melhoria da satisfação dos profissionais, um reforço da imagem do CHUC e da sua capacidade de atrair talento e mais oportunidades de cooperação. O impacto também se traduz, quantitativamente, no potencial aumento de rendimentos e na redução de gastos, sendo expectável um aumento da produtividade. Refira-se que este PDE dá continuidade à estratégia que tem vindo a ser seguida pelo CHUC, com a inclusão de vários projetos estruturantes já iniciados ou já planeados. Um plano estratégico, por definição, estará em permanente construção, particularmente numa organização com a dinâmica assistencial, de ensino e de investigação que caracterizam o CHUC. Mas é em contextos de imprevisibilidade e incerteza que o planeamento estratégico se revela como o mais eficaz conjunto de instrumentos de antecipação de cenários, de modelação de respostas e de identificação dos recursos necessários para melhor lidar com o imprevisto.

QUAIS OS PILARES E OS EIXOS DEFINIDOS PARA O PDE_CHUC ESTRATÉGICO?

O PDE está alicerçado em quatro pilares

Competência, Cooperação, Compromisso e Complementaridade

Os quatro pilares suportam sete eixos:

Comunicação, Transformação Digital, Capital Humano, Excelência Assistencial, Compromisso Social/Responsabilidade Social, Sustentabilidade, Ensino, Investigação e Diferenciação

Os pilares (4) e os eixos (7) desdobram-se num conjunto de objetivos (14) e iniciativas (25) que concorrem para dar resposta aos desafios estratégicos (6).

QUEM PARTICIPOU NA ELABORAÇÃO DO PLANO?

Foram auscultados 21 stakeholders externos e 13 stakeholders internos.
Na auscultação das partes interessadas, os stakeholders externos foram classificados de acordo com o seu poder e interesse, destacando-se como figuras-chave a Administração Regional de Saúde do Centro, a Administração Central do Sistema de Saúde, os Agrupamentos de Centros de Saúde, a Câmara Municipal de Coimbra, a Entidade Reguladora da Saúde e a Faculdade de Medicina da UC. Para além de entrevistas com estes e múltiplos outros stakeholders internos e externos, foi realizado um inquérito aos profissionais do CHUC. 
Em 2021, com vista à conclusão do PDE, previamente trabalhado pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC), foram organizadas reuniões, com profissionais da instituição, com o objetivo de analisar as principais conclusões propostas no relatório da FEUC e determinar quais as iniciativas estratégicas prioritárias. Realizaram-se duas sessões de auscultação de profissionais do CHUC, na qualidade de peritos, onde se recorreu à técnica de grupo nominal (TGN), que se pode definir como um modo estruturado de obtenção de consenso entre um grupo de indivíduos, com intervenção de um moderador. As reuniões tiveram como principal objetivo refletir sobre os sete eixos estratégicos relativamente aos quais se associaram objetivos estratégicos e, para cada objetivo estratégico, se definiu pelo menos uma iniciativa estratégica.
O debate gerado nas reuniões pretendeu responder à questão: «Do seu ponto de vista, quais as principais iniciativas estratégicas que devem constar do Plano de Desenvolvimento Estratégico do CHUC»?

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS INICIATIVAS PREVISTAS NO PLANO?

Das 25 iniciativas foram escolhidas 12 iniciativas como as mais prioritárias:

A.1.1 Fortalecer a cultura organizacional e a partilha dos valores, consolidando o CHUC como marca de qualidade

A.1.2 Redefinir e fortalecer a política de Recursos Humanos

C.1.2 Monitorização da implementação dos Planos estratégicos (o atual e anteriores)

C.1.3. Deslocalização de serviços dos HUC para outros hospitais do CHUC. Otimização de espaços fisicos do CHUC

C.2.2 Definir a carteira de serviços dos hospitais do CHUC

C.3.1 Implementar a gestão por processos (Clinical Pathways), potenciar a diferenciação clínica e desenvolver a multidisciplinaridade

C.3.2 Potenciar processos assistenciais integrados com os CSP/ HH/CC e assegurar a gestão integrada da doença crónica

C.4.1 Consolidar uma cultura de segurança do Doente e de Gestão do Risco e implementar e consolidar processos de melhoria da qualidade e de acreditação

C.5.2. Melhorar as acessibilidades em geral. Tornar o hospital patient friendly 

E.1.1. Reforço da Comunicação interna e externa

G.1.1 Reforçar e expandir os processos de Transformação Digital, reforçando a telesaúde e desmaterializar as principais interações administrativas

B.1.3. Colocar o foco no doente, potenciando a personalização e a humanização dos cuidados

QUAL A CARTEIRA DE SERVIÇOS DE CADA POLO DO CHUC?

- Consolidar o polo do Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) com respostas de elevada diferenciação (transplantes renais, hepáticos, cardíacos e de córnea), vias verdes (AVC e Coronária) e implementar a via verde de trauma;

- Consolidar o polo do Hospital Geral (HG) com centros de elevada diferenciação na vertente ambulatória e nas respostas de elevada resolutividade apoiadas na vertente de internamento;

- Consolidar o polo do Hospital Pediátrico (HP) como referência regional para todas as patologias e a nível nacional para respostas de elevada diferenciação;

- Consolidar o Polo do Hospital Sobral Cid (HSC) como resposta à saúde mental de doentes crónicos, resposta nacional para doentes forenses e unidades de referência específicas (e g Unidade de Psicose e Centro de Prevenção e Tratamento do Trauma Psicológico Unidade de Violência familiar)

- Lançar o projeto de construção do novo Serviço de Neonatologia e Obstetrícia em proximidade com o apoio perinatal diferenciado, substituindo as duas maternidades existentes

 

COMO SE CONCRETIZAM OS PILARES DEFINIDOS DO PDE_CHUC?

Cooperação – através do eixo da Comunicação (interna e externa) e da Transformação Digital (p.e. reforçando a telesaúde e desmaterializando as principais interações administrativas)

Competência – através do Capital Humano (fortalecendo a cultura organizacional e a partilha dos valores e pela redefinição e fortalecimento da política de Recursos Humanos), e da Excelência Assistencial (p.e. definir a carteira de serviços dos hospitais do CHUC e deslocalizar serviços, aumentar a ambulatorização, implementar a Hospitalização Domiciliária, reforçar a prestação de cuidados paliativos, implementar a gestão por processos (Clinical Pathways), potenciar a diferenciação clínica e desenvolver a multidisciplinaridade, melhorar a acessibilidade)

Compromisso - através do Compromisso Social/Responsabilidade Social (melhorar os compromissos com os utentes, família e comunidade incorporando sugestões, melhorando o acolhimento e potenciando a personalização e a humanização dos cuidados) e da Sustentabilidade (Consolidando boas práticas da economia circular e melhorando a gestão energética)

Complementaridade – através do Ensino, Investigação e Diferenciação (p.e. consolidar do Centro Académico e Clínico de Coimbra, potenciar programas e projetos de investigação translacional, reforçar os ensaios clínicos, consolidar a presença do CHUC em redes de referenciação europeias e reforçar parcerias nacionais e internacionais)

QUAIS SÃO OS PROJETOS ESTRUTURANTES DO PDE_CHUC E QUAIS OS VALORES ENVOLVIDOS?

1. Novo Edifício da Maternidade - € 44.895.000
2. Requalificação da Urgência Central - € 7.393.738
3. Expansão da Medicina Intensiva - € 7.109.965
4. Requalificação do polo HSC – Psiquiatria - € 9.000.000
5. Imagem Médica (atualização do parque tecnológico ao nível do equipamento pesado no Serviço de Imagiologia, Medicina Nuclear e Radioterapia) - € 14.490.500
6. Requalificação de enfermarias e ambulatório do Hospital Geral - € 15.000.000
7. Requalificação dos circuitos de logística (Requalificação da cozinha e circuito de alimentação; Reorganização do circuito logístico, Circulações rodoviárias e estacionamento) - € 9.000.000

 

POR QUE SE AUTONOMIZOU A INICIATIVA ESTRATÉGICA C.1.3. DESLOCALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DOS HUC PARA OUTROS HOSPITAIS DO CHUC: OTIMIZAÇÃO DE ESPAÇOS FÍSICOS DO CHUC?

Foi dado um particular destaque à reorganização da resposta de ambulatório de adultos do CHUC, nomeadamente no Pólo Hospital Geral (Hospital dos Covões): uma oferta específica, não redundante, de cuidados assistenciais, para servir áreas em expansão de procura de cuidados de saúde hospitalares.

Esta nova missão será implementada progressivamente, dado haver necessidade de acautelar um conjunto de condições relacionadas com a requalificação da maioria dos espaços do Hospital Geral (HG), para se adequarem às especificações das novas funções.

Pretende-se que o HG reganhe a relevância e a atração que tradicionalmente detinha para a cidade e para a Região Centro.

QUAIS OS PRINCIPAIS CUIDADOS PLANEADOS PARA SEREM PRESTADOS NO HOSPITAL GERAL?

Um Centro Hospitalar da dimensão do CHUC deve apresentar uma extensa carteira de serviços que exige a disponibilização de novas técnicas, novos meios e novas formas de atuar, seja na área médica, seja na área cirúrgica (de que são exemplo o gestor do doente crónico, a cirurgia de ambulatório, a cirurgia minimamente invasiva e de alta resolutividade, ou mesmo as consultas de elevada resolutividade).

A localização destas respostas no HG irá induzir a sua transformação, atribuindo-lhe um papel relevante, pioneiro e insubstituível na prestação contemporânea e futura de cuidados de saúde no âmbito do CHUC – um verdadeiro hospital do futuro, ao mesmo tempo que permite adequar a estrutura física e os circuitos de doentes no polo HUC.

 

No HG, teremos:

- Um centro de cirurgia eletiva de alta resolutividade com as vertentes de ambulatório convencional

- Uma vertente de internamento com 192 camas

- Um centro geriátrico integrado (CGI)

- Um Centro de Responsabilidade Integrada (CRI) da medicina do sono

- Um Centro de Responsabilidade Integrada (CRI) de implantes cocleares

Unidade domiciliária

- Um centro de ambulatório polivalente (CAP)

- Uma unidade de epilepsia e neurofisiologia (UEN)

- Uma unidade de diálise ambulatória

- Uma unidade partilhada de MCDTs

- Uma Unidade de Reabilitação Cardiorespiratória

- Resposta de cardiologia na vertente de hemodinâmica eletiva e MCDT

- Polo B SU – modelo a definir em articulação com a ARS Centro